Frutas, Hortaliças e Grãos integrais da Prevenção de Doenças

Dra. Jocelem Mastrodi Salgado
Profa. Titular de Nutrição - ESALQ/USP
Presidente da Soc. Bras. de Alimentos Funcionais

Mais do que nunca os pesquisadores estão comprovando a importância da alimentação na vida das pessoas. Os maiores especialistas em nutrição e medicina são unânimes em concordar que certos alimentos são capazes de prevenir e até mesmo controlar doenças como o diabetes, a hipertensão, doenças cardiovasculares e até mesmo o câncer.

Os estudos também mostram que existem fortes evidências do papel da dieta em melhorar a performance mental e física, retardar o processo de envelhecimento, auxiliar na perda de peso, na resistência às doenças (melhora do sistema imunológico), entre outros benefícios.

 

No Brasil, o consumo de alimentos considerados benéficos para a saúde, como as frutas, hortaliças e grãos vem diminuindo gradativamente por conta do crescimento da indústria alimentícia e do estilo de vida inadequado de muitas pessoas, que dão ênfase em suas dietas a produtos processados, na maioria das vezes com alto valor calórico e baixo valor nutricional. Observa-se no nosso país tendências nutricionais desfavoráveis semelhantes as de países de primeiro mundo, como o excessivo consumo de gorduras, principalmente saturadas, excessivo consumo de açúcar e sal, em detrimento ao consumo de frutas, hortaliças e grãos integrais, ricos em fibras, vitaminas, minerais e compostos ativos com ação antioxidante.

Essa mudança no padrão alimentar do brasileiro tem gerado um processo denominado de transição epidemiológica, ou seja, está ocorrendo uma significativa redução nas doenças infecciosas e um grande aumento nas chamadas enfermidades crônico-degenerativas. Hoje, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) essas doenças são responsáveis por 70-80% da mortalidade nos países desenvolvidos, sendo que no Brasil as doenças cardiovasculares ocupam o primeiro lugar como "causa mortis" e outras enfermidades como o câncer e o diabetes encontram-se entre as dez primeiras causas de mortalidade, em geral.

Por isso, as recomendações recentes do Committee on Diet and Health são para que a população aumente o consumo de frutas e vegetais em geral, caso contrário, as doenças crônico-degenerativas vão continuar matando e fazendo com que os recursos financeiros do país não sejam suficientes para manter a saúde da população, principalmente daqueles com idade superior a 50 anos.

BRASIL: UM PAÍS PRIVILEGIADO

O Brasil é um país que tem o privilégio de cultivar centenas de espécies de frutas, hortaliças e grãos e de oferecer boa parte deles a baixo custo, especialmente os chamados "da estação". Cheirosos, coloridos, saborosos, esses vegetais ocupam lugar de destaque nas bancas das feiras e gôndolas de supermercados, o ano todo.

O que a ciência nos chama atenção hoje, é que esses alimentos tem ganhado uma dimensão extra, que vai muito além da sua aparência e função nutritiva. Até pouco tempo, quando um médico ou nutricionista indicava o consumo de uma determinada fruta ou hortaliça para o seu paciente, visava suas qualidades nutricionais, importantes na prevenção de muitas doenças carenciais. Assim, por exemplo, quando a deficiência era de vitamina A, frutas e vegetais amarelo-alaranjados eram indicados devido a alta concentração de b-caroteno, um precursor da vitamina A no organismo humano; para deficiência de vitamina C, o uso de frutas cítricas; para deficiência de ferro (anemia), o uso de vegetais verde-escuros, e assim por diante.

Entretanto, atualmente, não são somente as qualidades nutricionais das frutas e vegetais que interessam aos pesquisadores. Tais alimentos apresentam muito mais do que nutrientes, eles contém substâncias que ajudam na prevenção e controle de doenças. Assim, essas substâncias, também denominadas de componentes ativos ou fitoquímicos somadas aos compostos nutricionais das frutas e vegetais, trazem inúmeros benefícios à saúde das pessoas.

FRUTAS, HORTALIÇAS E GRÃOS INTEGRAIS: SEUS BENEFÍCIOS PARA A SAÚDE

Os benefícios de se consumir diariamente frutas, hortaliças e grãos integrais diversos vão desde à prevenção de uma simples constipação intestinal (intestino preso) até a prevenção e controle de certos tipos de cânceres, doenças cardiovasculares, diabetes, diverticulite, catarata, entre outras enfermidades.

Em artigo de revisão da revista Food Technology, 206 estudos epidemiológicos com humanos e 22 estudos com animais estabeleceram uma relação do consumo de frutas e vegetais com reduzido risco de câncer. As evidências para o efeito protetor do maior consumo desses alimentos foi consistente para cânceres de estômago, esôfago, pulmão, cavidades orais e faringe, endométrio, pâncreas, cólon e próstata. E os tipos de frutas e vegetais que mais frequentemente aparecem como protetores nesses estudos são o tomate, soja, alho e cebola, as frutas cítricas como o limão, laranja e tangerina, vegetais crucíferos como o brócolis, couve-flor, repolho e couve de bruxelas e frutas vermelhas como a uva, framboesa, amora e morango.

A ciência nos mostra também que todos esses alimentos aqui relacionados atuam beneficamente reduzindo o colesterol, já que os componentes envolvidos na proteção ao câncer muitas vezes são os mesmos que atuam trazendo benefícios para as doenças cardiovasculares, ou seja, compostos com ação antioxidante que impedem a oxidação da LDL colesterol (colesterol ruim).

GRÃOS, FRUTAS E VEGETAIS PREVINEM DOENÇAS! MAS E QUANTO AOS AGROTÓXICOS?

De fato muitos alimentos de origem vegetal contém vestígios de resíduos químicos tais como fertilizantes, pesticidas, herbicidas e outras drogas usadas na lavoura, e as pessoas tem todo direito de se preocuparem com isso. Mas ao mesmo tempo, elas deveriam estar conscientes que os reguladores governamentais monitoram vigorosamente o fornecimento de alimentos para mantê-los fora dos danosos níveis de produtos químicos. Observando muitos relatórios por todo mundo, encontramos que muitos estudos com humanos contém evidências insuficientes de quaisquer relações entre os resíduos utilizados na agricultura e o risco de câncer. A única informação sugerindo que esses resíduos aumentam o risco de câncer de qualquer forma, deriva de experimentos em animais, usando doses em grande excesso, fora de qualquer normalidade.

Muitas pessoas pensam erroneamente que a contaminação química é a causa significativa do câncer. Os pesquisadores acreditam que mais de 60 a 70% de todos os tipos de câncer estão associados com o controle dos fatores de vida: dieta, fumo, atividade física e peso saudável. Por outro lado, expor-se a todos os produtos químicos lançados no ar, água, solo e alimentos pode ser a causa de menos de 1% dos casos de câncer. Além disso, frutas, hortaliças e grãos integrais contém substâncias protetoras que, como já vimos, ajudam a neutralizar os efeitos de possíveis produtos químicos cancerígenos.

De qualquer forma, os pesquisadores sempre sugerem tomar precauções adicionais de segurança, não somente com relação aos agrotóxicos , mas também com relação a outros tipos de contaminações que podem ocorrer, como por exemplo da ordem microbiológica. Entre as recomendações destacamos:

  • escolha os produtos livres de furos ou picadas por onde os resíduos possam ter entrado;
  • lavar e esfregar com uma bucha macia as frutas e hortaliças, removendo as folhas soltas dos vegetais folhosos;
  • deixar de molho em água com vinagre (1 colher de sopa de vinagre para cada litro de água) por meia hora;
  • coma uma variedade de alimentos; quanto mais variável for sua alimentação, você terá menos riscos de expor-se aos pesticidas;
  • procure por alimentos orgânicos, ou seja, aqueles cultivados com poucos ou sem produtos químicos

Baseado em tudo que sabemos sobre dieta e câncer até o momento, estamos extremamente confiantes em dizer que os benefícios de alimentar-se com uma dieta rica em verduras, grãos e frutas diminui a incidência do risco de câncer e outras doenças, excedendo de longe o risco mínimo causado pela ingestão de níveis traços de agrotóxicos.

----------------------------------------------------

Dra. Jocelem Mastrodi Salgado é autora dos livros: "Previna Doenças. Faça do Alimento o seu Medicamento"; "Pharmácia de Alimentos. Recomendações para Prevenir e Controlar Doenças", "A Alimentação que Previne Doenças - Do Pré Natal ao 2º Ano de Vida do Bebê" e "A Alimentação que Previne Doenças - Do Pré escolar à Adolescência".

 
Av. Mateus Leme, 2018 - 2º andar - Centro Cívico - CEP 80530-010 - Curitiba - PR - Fone/Fax:(41) 3352-2855
ANS n.º 41287-2
Software livre customizado por Fator Conexo